Páginas

terça-feira, 26 de Junho de 2012

Clafoutis, e um Ode às cerejas



Já alguma vez vos contei o quão eu adoro cerejas?
Ao ponto de marcar férias de propósito na altura delas? Uns fazem turismo rural, outros turismo balneário, etc, eu cá faço turismo de cerejas e fruta fresca!!
Esta paixonite foi gravemente acentuada desde que me mudei aqui para o polo norte, onde a escassez de fruta e vegetais de qualidade, interfere gravemente com o meu humor diário...
Mas porquê as cerejas em particular, perguntam vocês?

No passado, em tempos que ainda vivia em Portugal, durante a época das cerejas, conseguia alimentar-me exclusivamente deste fruto. Lá em casa o ambiente era de guerrilha, pois éramos três com o mesmo vício e os confrontos eram inevitáveis! Mas tudo acabava em bem, e as romarias às cerejeiras vizinhas ou à respeitosa e centenária cerejeira dos meus bisavós, eram repetidas numa base regular.

Nestas últimas férias, não foi excepção; e depois de dizimar-mos a noviça cerejeira lá de casa, avançámos para cerejeiras de familiares, e como se isso não bastasse, ainda conseguimos permissão para nos apossar-mos dum cerejal de um amigo do meu pai! Foi o delírio total!
Assim que lá chegá-mos, fomos provando cerejeira a cerejeira, para termos a certeza que só colheríamos as melhores! Mas á medida que avançávamos as cerejas revelavam-se cada vez melhores e sumarentas! Parecíamos crianças ,pequenos selvagens agarrando tudo à nossa passagem! De boca e dentes sanguinários, o riso era inevitável!  As nossas mãos, essas, manchadas de carmim, contaminavam-nos as roupas leves de Verão, intensificando o festim.

Por fim, os nossos corpos erudidos pela exaustão do calor, e os nossos pés esburacados pelas aveia e silvas, ditaram um basta à nossa expedição... De barriga saciada, e cara enlambuzada, partimos para o conforto da nossa alegre casinha.






Clafoutis de cereja
Ingredientes
150 gr cerejas sem caroços
50gr farinha
5gr fermento em pó
2 ovos
60gr açúcar
1 c.sopa de margarina derretida
125ml de leite
pitada de sal
1 c.café de canela 
1 c.chá raspa de limão

Faz-se assim
Pré aquecer o forno a 180ºC, untar um pirex pequeno, reservar.
Começamos por bater o açúcar com os ovos e raspa de limão, até obtermos um creme fofo. Em seguida adicionamos o leite e a margarina, continuando a bater energicamente até que tudo esteja combinado na perfeição.
Por fim incorporar os restantes ingredientes secos, peneirados para evitar a formação de 'grumos'.
Dispor as cerejas no pirex reservado e sobre elas verter a massa liquida de clafoutis.

Levar ao forno cerca de 30-45 min. até que o clafoutis esteja bem douradinho e apetecível.



English Version


Cherry Clafoutis 
Ingredients
150 gr pitted cherries
50gr flour
1 tsp baking powder
2 eggs
60gr sugar
1 Tbsp melted butter
125ml milk
pinch of salt
1/2 tsp cinnamon
1 tsp lemon zest

Methode
Heat the oven at 180ºC, grease a small baking dish and reserve.
Start by whisking sugar and eggs with the lemon zest together until you get a fluffy mixture. Add the milk and melted butter, and continue whisking until everything is properly combined.
Passing through a sieve, add all the other dry ingredients, carefully mixing so that you get a homogeneous batter.
Place the cherries on the bottom of the baking dish, cover with the clafoutis batter.
Bake at 180ºC for 30-45min, until it gets good looking golden!


sexta-feira, 22 de Junho de 2012

Férias... Três países, uma correria!



E lá se acabaram as minhas férias; algumas peripécias, emoções à flor da pele e uma correria entre países..
O objectivo principal destas férias: Comer cerejas! (risos, depois conto mais) A missão foi cumprida!

Uma vez que não existem voos directos para Portugal a partir aqui da Islândia, decidi-mos aproveitar, e ir conhecer outras paragens. Fomos conhecer a bela e pacata Copenhaga, que muito nos encantou, e no regresso de Portugal tive grande choque cultural em Paris...
Agora resta-me descansar neste paraíso calmo que é a Islândia, e tomar fôlego para os meses de azafama que se avizinham.

Deixo-vos algumas imagens...

Em Copenhaga


O Homem mais gordo do mundo - Museu do guiness




O extraordinário Hans Christian Anderssen

Guarda real Dinamarquesa, a caminho do palácio


No nosso querido Portugal


Restos mortais de um lagar de azeite



Convento de Santa Clara - Coimbra


Convento de Santa Clara II - Coimbra 

Convento de Santa Clara III - Coimbra

Campo de trigo - Serra da Gralheira

Milho - Serra da Gralheira

Barcos - Perto de Águeda

E agora um cheirnho de Paris..

A imponente Eiffel


Notre Dame

Jardins do Louvre




Moulin Rouge 

domingo, 17 de Junho de 2012

Tarteletes de Verão e um desabafo...



Para quem a minha ausência já estranhava, tenho a dizer de que por um bom motivo se tratava! Férias, um corrilão de experiencias; e um recordar de tempos risonhos que já lá vão! Entre família, amigos e uma overdose de comida fresca, assim estão a ser as minhas férias...

Agora um pequeno desabafo...
Sinto-me cada vez mais Portuguesa sempre que por aqui passo. Mas é com mágoa que vejo a juventude cruzar os braços, a contentar-se com o seu fatal destino, num país que parece não lhe querer dar as mãos... A comodidade do povo em geral é algo que também me transtorna, já para não falar no rol de queixumes em tom de monólogo intrínseco.
Agora pergunto-me, afinal o que falta ao nosso retangulozinho para sermos mais felizes? Serão as pessoas, estarão as oportunidades mal distribuídas? Seremos nós, que não estamos para nos chatear, e queremos tudo de 'mão beijada'?
E é com tristeza que ouço de quem me quer bem, 'não voltes para aqui, deixa-te estar, isto aqui está muito mau(...)'
Será que ainda há esperança para este povo? Onde poderemos nós resgatar forças para nos levantar-mos?
Onde está essa auto-confiança que outrora nos fez navegar destemidamente por esses quatro cantos de mares?
E vocês, caros leitores portugueses? Que acham que podemos nós fazer?
Vamos criar as nossas próprias oportunidades! Vamos mostrar aos derrotistas que em tempo de guerra ninguém pára de lutar! Vamos ser senhores de nossos narizes e confiar nas nossas convicções! Acreditem em vocês mesmos! Sejam felizes!

Scroll down for english version


Ingredientes
4 tarteletes tipo pâte sucrée (já cozidas) nota*
200ml de natas
3 c.sopa de açúcar
4 c.sopa de mascarpone
1 c.sopa de folhas de lúcia lima
Frutas de Verão q.b. (mirtilos, morangos silvestres, cerejas)




Faz-se assim
Começar por bater as natas bem firmes, adicionar o açúcar, e o mascarpone também. Continuar a bater até obter um creme firme. Por fim juntar a lúcia lima picada, e envolver tudo muito bem.
Repartir o creme pelas 4 forminhas.
Cobrir o creme com uma camada de frutos frescos.
Deixar repousar no frigorifico 30 min. antes de servir, só para que fique mais firme.




Nota: Optem por fazer estas tarteletes, com massa de compra ou não, em grandes quantidades, que depois poderão congelar e usar conforme necessitem!



English Version


Ingredients
4 little baked pie shells (like paté sucree) see note*
200ml cream
3 Tbsp. sugar
4 Tbsp. mascarpone
1 Tbsp. Lemon verbena
Summer berries (blue berries, wild strawberries, cherries)


Methode
Whisk the cream until stiff, slowly adding the sugar and the mascarpone as well.
Finalize by adding the Lemon Verbena thinly sliced, and gently combine everything.


Divide the cream mixture by the 4 pie shells.
Top it with as much fresh fruits as you can fit in.
Refrigerate for 30 min. before serving.

Note* You can either buy it already made, or do it yourself. I usually bake large quantities of these shells, and freeze them for later use.