Páginas

sábado, 28 de abril de 2012

Tarteletes Dente de Leão



Scroll down for English Version

A agradável surpresa que tive um destes dias, com o nosso amigo guardião dos elfos a bater à porta bem cedo...
É uma pessoa muito especial; é um poeta, um apaixonado pela natureza no seu estado bruto; um Agostinho da Silva dos dias de hoje..
Qual o meu espanto ao ver que trazia em suas mãos um punhado de folhas viçosas de dente de leão, ainda orvalhadas, acabadinhas de colher no seu passeio matinal...
Estendeu-as com um sorriso, agradeceu o jantar do outro dia e partiu...

* * *

Logo soube o que fazer com as preciosas folhas, pois já há muito que sonhava com o começo da época dos Dentes de leão! Não faço ideia onde os encontrou, pois ainda não os vi por cá este ano...



Para 4 tarteletes
Ingredientes Massa
100gr de farinha de espelta (usei integral)
40gr manteiga fria
pitada de sal
água fria q.b.

Faz-se assim
Misturar a manteiga fria com a farinha e sal, amassar tudo muito bem com as pontas dos dedos. Adicionar um bocadinho de nada de água fria, para ajudar a massa a ficar firme, e não colar mais às mãos.
Formar uma bola com a massa e deixar repousar no frigorífico durante 20 minutos.

Ingredientes Recheio
10 folhas jovens, grandes, de dente de leão (quando digo grandes, as minhas tinham 2 palmos)
1 dente de alho picado
fio de azeite
2 c.sopa de azeitonas pretas picadas
1 pitada de manjerona
sal e pimenta moída na hora
2 ovos grandes
sementes de sesamo

Faz-se assim
Pré aquecer o forno a 190ºC, untar 4 forminhas para tartelete. Reservar.
Numa sertã, colocar o fio de azeite e saltear levemente o dente de leão picado grosseiramente, e o alho picado também.
Adicionar as azeitonas picadas grosseiramente, sal e pimenta e um cheirinho de manjerona.
Retirar do lume e deixar arrefecer.
Forrar as forminhas com a massa que entretanto descansou no frigorífico. Picar o fundo das tarteletes com um garfo. Distribuir o recheio igualmente por entre as 4 forminhas.
À parte bater os ovos com uma pitada de sal e pimenta; verter os ovos por entre as forminhas.
Salpicar com sementes de sesamo.
Levar ao forno durante 10-12 minutos.

Desfrutem!


English Version

What a wonderful surprise I had one of these past days. Our friend, guardian of the elves, came knocking at our door quiet early in the morning...

He's a very special being; a poet, a devoted nature's lover in its raw state; a kind of an Agostinho da Silva of our times...
I was so amazed to see that he was carrying a bunch of young, lush dandelion leaves on his hands;
still dewy, just harvested during his morning walk..
He held them with a smile, thanked for the dinner on the other night, and just left...

* * *

I knew exactly what to do with the precious leaves, it has been long time since I have been waiting for them! 
As matter of fact I have no idea where our friend found the dandelion, I haven't seen it yet this year...



Serves 4 tartelets 
Ingredients Pastry 
100gr whole meal spelt flour
40gr cold butter
pinch of salt
cold water

Methode
Combine the cold butter with the spelt flour and salt, rub the butter using your finger tips until it gets sandy.
Add just a little of cold water, and knead until you get a firm non-sticking dough. If you added too much water you will need to add more flour in order to get it right.
Wrap the dough in cling film, let it rest for 20 min. in the fridge.

Ingredients Filling
10 young Dandelion leaves (big ones)
1 garlic clove minced
drizzle of olive oil
2 Tbsp. chopped black olives
Pinch of marjoram
salt and fresh ground pepper
2 eggs (large ones)
sesame seeds to sprinkle

Methode
Heat the oven at 190ºC, grease 4 little tartelet forms. Reserve.
Wash the dandelion leaves carefully, and cut it ruffly.
Sprinkle a hot pan with some olive oil and sauté  the dandelion with the garlic.
Throw the chopped black olives in, season with salt, pepper, and some marjoram to the taste.
Sauté, tossing the pan around just until all ingredients are combined.
Remove from the heat, and let it cool.

Meanwhile...

Remove the dough from the fridge; roll it out, and stamp 4 round circles. Line the tartelet forms with the dough and prickle the bottom with a fork.
Divide equally the reserved filling between them.
A side, whisk the eggs with a pinch of salt and pepper.
Pour the eggs over the filling, sprinkle with sesame seeds.
Bake at 190ºC for 10-12 min.

Enjoy : )




segunda-feira, 23 de abril de 2012

BBD #49 - Ciabatta a la Pami


Scroll down for english version.

Bread baking day, de abreviatura BBD, criado pela Zorra do blog kochtopf, já vai na 49ª edição.
Com esta iniciativa, Zorra tem criado uma onda de entusiasmo à escala mundial. Todos os meses, largas dezenas de pessoas, dos mais diversos países e nacoes, reúnem-se na blogoesfera fazendo os mais variados pães e afins sob um tema escolhido. Os resultados são depois publicados, no final de cada desafio, mostrando toda a dedicação e carinho que os participantes colocaram nas suas criações!
Ora este mês, o desafio está em casa da querida Manuela do blog Cravo e Canela - Uma cozinha no Brasil ,que nos escreve de paragens tropicais, a partir do Brasil.
O blog da Manuela é um blog que sigo há já algum tempo, e desta forma não poderia deixar de participar!

O tema desta edição é Pizzas e Pães Italianos.

Itália, famosa pelas suas massas e pizzas, deixa qualquer amante gastrónomo a sonhar com as cores e aromas dos seus repastos...

Depois de muitas voltas lá me decidi a apresentar uma tradicional Ciabatta, que servida com uma salada sumarenta de tomate, alho e ervas frescas, pode muito bem servir uma refeição leve.

Ciabatta - Em Italiano Ciabatta significa literalmente chinelo, pois a sua desleixada e achatada aparência relembra deveras um chinelo, o último grito da moda das donas de casa.
Este tipo de pão, categorizado dentro dos pães rústicos, deve a seu aspecto achatado à enorme quantidade de água presente na sua composição.
Só para vos dar uma ideia um pão normal terá uma hidratação entre 50 a 65%, enquanto que a ciabatta pode ter uma hidratação até 80%, o que torna o seu manuseamento extremamente difícil, mas não impossível.
O seu sabor característico é conseguido não só pela massa húmida, mas também através da lenta fermentação (que pode ir de 15 a 24horas), induzida por uma quantidade pequeníssima de fermento.

Deixo-vos uma tabela temporal, para que melhor possam visualizar os tempos necessários para a elaboração desta receita.


Rende 2 pães
Ingredientes
Poolish - É uma espécie de pré fermento, com 100% de hidratação; é feito de véspera para ir lentamente fermentando, amadurecendo em termos de sabor e textura.

1 c.café de fermento seco (1gr), dupliquem a quantidade se usarem fermento fresco.
180ml de água à temperatura ambiente
170gr gr de farinha para pão, (usei espelta branca)

Faz-se assim
De véspera, ao final da tarde, colocar todos os ingredientes numa taça suficientemente grande para caber o poolish e a massa de pão.
Misturar suavemente com as mãos, sem grande esforço, até que o fermento esteja bem distribuído.
Tapar com uma película aderente e deixar fermentar até ao dia seguinte, à temperatura ambiente.

Ingredientes massa
1/2 c.chá de fermento seco (4gr)
240ml de água à temperatura ambiente
12gr de sal fino
115gr farinha integral (usei de espelta)
225gr farinha para pão (usei de espelta branca)
Azeite de boa qualidade q.b.
Farinha q.b. para polvilhar

Faz-se assim
Verter todos os ingredientes para dentro do recipiente onde o poolish esteve a repousar.
Envolver o fermento do dia anterior com os restantes ingredientes à mão. Em movimentos circulares, mexer até obter um massa pegajosa, e homogénea.
A massa não deverá ser sovada, nem deverão adicionar mais farinha! É suposto ficar assim, pegajosa e extremamente húmida.



Com a massa ainda dentro da taça, cobrir com um pano limpo e deixar levedar por 1 hora à temperatura ambiente.

Impregnar as mãos com bastante farinha, e cuidadosamente retirar a massa de dentro do recipiente, colocando as mãos no fundo da taça e levantando a massa. Dobrar a massa numa superfície polvilhada com farinha.  (ver imagens 1 a 4)


Voltar a colocar a massa na taça e deixar levedar coberto por mais 30 minutos.

Uma vez mais verter a massa para uma superfície polvilhada com farinha e voltar a dobrar a massa.



Limpar qualquer resíduo que esteja ainda dentro do recipiente da massa; para de seguida untar-la com azeite.
Colocar a massa novamente dentro do recipiente untado, com a parte dobrada para baixo.
Cobrir com um pano e deixar repousar uma 3ª e última vez, por mais 30 minutos.

Pré aquecer o forno a 220ºC, colocar o tabuleiro/pedra de cozer o pão dentro do forno a aquecer.

Verter a massa para uma superfície polvilhada com farinha. Com uma faca, cortar a massa ao meio em 2 partes iguais.
Esticar parcialmente a massa, formando dois pães sob o comprimento.



Transferir os pães para o tabuleiro pré aquecido, bem polvilhado com farinha. Não se preocupem se os pães não ficarem direitinhos, a prática fará a perfeição!
Colocar o tabuleiro no forno com o pão, e com uma garrafa spray, vaporizar as paredes do forno com água fria, para criar o efeito de vapor.
Cozer por cerca de 30 minutos, abrindo o forno durante uns segundos para deixar sair o vapor. Isto fará com que a crosta fique crocante.

Deixar arrefecer bem e desfrutar.

Eu servi com uma saladinha de tomate cortado em cubos, alho picado, salsa e manjericão; regado com um bom azeite caseiro, é do melhor!


English Version

Ciabatta - In Italian, Cibatta literally means Slippers; with its sloppy and flat appearance, it kind reminds me of it, the ultimate trend on  house wives slippers! hehe
This type of bread is considered a rustic type due to its flattened appearance. This is because it contains a huge amount of water in comparison with other normal breads. Just that you have an idea, a normal white bread contains usually between 50-65% hydration, while in Ciabatta it might go up to 80%!
As a result, handling cibatta dough can be a challange, dificult but not impossible.
Ciabatta's characteristic flavor is due to the wetness of the dough, which goes through a slow process of fermentation ( 15-24 hours), and it only requires a very small amount of yeast.

Here is a simple table that might help you to visualize all the steps/time needed to make this bread.



Recipe - Makes 2 breads

Ingredients
Poolish - It's a kind of ferment, done with 100% hydration. Prepared long hours in advance; so that the yeasts can slowly grow, maturing in terms of flavor and texture.

1/4 tsp.dry yeast (1gr), if you are using fresh yeast, double the quantity
180ml water at room temperature
170gr white spelt



Methode
The day before, late afternoon, combine all the ingredients in a bowl, large enough to hold both the poolish and the dough. Mix by hand just until combined.
Cover with some plastic wrap and reserve at room temperature until the next day.


Ingredients dough
1/2 tsp. dry yeast (4gr)
240ml water at room temperature
12gr salt
115gr whole meal spelt
225gr white spelt
Good quality olive oil
Some flour to dust

Method
Combine all the ingredients at once in the same container where you placed the poolish.
Stir gently, just by using your hands until everything is blended in. Do not work the dough and do not feel tempted to add extra flour; the dough should remain sticky and wet.

At room temperature, let the dough prove inside the bowl, covered with some clean tea towel. 30 minutes.

Dust your hands with plenty of flour,  Lift up the dough by pulling it from the bottom. Transfer to a floured surface and fold the dough in (see images 1 to 4).
Place again inside the bowl and let it prove once again for another 30 minutes.

Knock down the dough, and repeat the last step, folding in once again. But this time you will place the dough in the same bowl oiled with some olive oil.

Cover once again, and let rise for the last time, 30 minutes.

Meanwhile, pre-heat the oven 220ºC. Place your baking stone or baking tray inside the oven.

Turn out the dough onto a floured surface and divide in 2 equal pieces, by cutting with a knife.
Stretch the dough as best as you can, but because the dough is so soft and wet this can be a hard task trying to keep it in shape. After a few ciabattas you will master it : )

Carefully transfer the breads into the baking stone or tray. Spray inside the oven with cold water (very quickly, so you don't lose much heat).
Bake at 220 ºC for 30 minutes. You might need to open the oven a few seconds, to release the steam in order to get a crunchier crust.

Let it cool down completely before you cut it!
Enjoy!

I particularly like to serve it with a wetty fragrant tomato salad. Just dice some fresh tomatoes, some minced garlic and fresh herbs such as parsley and basil, a drizel of olive oil, and that's it!








quinta-feira, 19 de abril de 2012

Espécie de cheesecake, e o 1º dia de Verão!



Islândia, um país de extremos... Por mais que nos esforcemos nunca nos habituamos, e se nos habituamos logo tudo muda... Falo do tempo, das rotinas, da luminosidade vs escuridão, do clima irregular, existe mesmo uma piada que diz: se não gostas do estado do tempo, espera 10 minutos!

Os dias cresceram a passos vertiginosos, e a noite, apressada, migra para sul a cada dia... Já não há horas para jantar nem para deitar; e de manhã o sol arrancam-nos da cama à força... Andamos todos de humores erráticos, ora electrizados pela overdose de luz, ora rastejando no musgo verde, pela privação de sono decente!...
As máquinas de café, essas, são a nossa salvação! Trabalham ininterruptamente, aliviando-nos com a melodia preludiar dos grãos de café apressadamente triturados, e depois como em tom de expiração ofegante, fazem jorrar o liquido castanho-dourado, alcançado com o seu aroma quem quer que esteja na vizinhança...
Saboreia-se mais um café,  e volta-se ao trabalho de cabeça erguida...

E hoje celebra-se o primeiro dia de Verão, respeitando ainda o antigo calendário pagão. Em tempos, antes da chegada dos romanos, o povo Islandês era regido apenas por este calendário, de  onde constavam unicamente duas estações, o Verão e o rigoroso Inverno. Deste modo, ainda hoje a primeira quinta feira a seguir ao dia 18 de Abril, é reconhecida como o primeiro dia de Verão, feriado nacional; acredita-se também ter sido a data do primeiro dia do ano do calendário Pagão...

Para celebrar a chegada do Verão fiz uma sobremesa, assim uma espécie de cheesecake em copos...
Mais abaixo deixo-vos também algumas fotos deste país maravilhoso...






Serve 2
Ingredientes
50gr de bolachas digestivas esmigalhadas
2 c.há. de grandmarnier
150gr de cream cheese, tipo philadéphia (em alternativa, iogurte grego natural p.ex.)
raspa de 1/2 laranja
4 c.sopa de compota de maça com canela

Faz-se assim
Colocar as bolachas trituradas em dois copos, ou taças onde pretendem servir. Salpicar com o licor de laranja. Reservar.
Bater o cream cheese com a raspa de laranja.
Dividir pelos dois copos.
Finalizar com compota de maça, ou mesmo até, outra a vosso gosto.
Colocar no frigorífico antes de servir.

Agora um cheirinho das paisagens destas paragens...

Esplêndido Por-do-sol

Surrealismo Invernal


A nossa Igreja Protestante

Geysir, as forças da Natureza

Já não há peixe...

Toda a vida tem um fim...

Rochas na praia de Vík
Ainda bem que a foto não tem cheiro!

Tempestade no deserto de cinza


terça-feira, 17 de abril de 2012

Covidei para jantar... Realizadores de cinema



Muitos de vós já devem ter ouvido falar deste magnifico desafio criado pela Ana, do espantoso blog Anasbageri.
O convidei para jantar é um desafio criativo, que apela à mais excêntrica das nossas fantasias; ondulando por entre personalidades e vivências que de alguma forma marcaram a nossa existência...
Vamos já na 4ª edição, e é com um enorme prazer que recebo este desafio aqui no Receitas do Menu Verde.


O tema que escolhi foi: Realizadores de Cinema.
Contem um pouco da sua história, o que neles mais vos fascina, as possíveis peripécias durante o jantar, soltem essa escrita!


Para participarem devem
- Convidar um realizador de cinema; 
- Citar o blog criador deste evento Anasbageri.
- Incluir também um link para o Receitas do Menu Verde, publicitando esta edição.
- Sendo o Menu Verde um blog sem carne, peço-vos se possível para tentarem apresentar algo vegetariano, ou em último recurso com peixe.
- Para que tome conhecimento das vossas participações, deverão deixar um comentário com os vossos links neste post.
- O desafio decorrerá até dia 16 Maio. 

*  *  *



Eu convidei para jantar o Exmo. Sr. Tim Burton.


A sua mente brilhante com um humor negro esplêndido, surpreende-nos a cada filme que cria. As suas ideias geniais, pescadas directamente do íntimo do seu mundo, são únicas, um misto de fantástico e bizarro...
Os filmes mais conhecidos serão o Edward Sisorsshands, Nightmare before chrismtas, Sleepy Hollow, Big fish, Charlie and Chocolate factory, Batman etc etc..
Mas o meu filme de eleição é sem dúvida o Big fish, um apaixonante drama que  mexe com o nosso coração do principio ao fim...


Para o jantar servi...


Abóbora mãos de espinafre










Ingredientes Assado
Meia abóbora Butternut (média)
Azeite 
alecrim, sal e pimenta q.b.


Faz-se assim
Cortar a abóbora ao meio, descartar as sementes; regar com um fiozinho de azeite, temperar com sal, pimenta e um cheirinho de alecrim.
Assar no forno a 200ºC durante cerca de 30-40 minutos.
Deixar arrefecer, retirar toda a polpa da abóbora, tendo o cuidado para não danificar a casca.
Reservar a casca.


Ingredientes Recheio
Polpa assada da abóbora, cortada em pedaços
1 cebola pequena picada
1 c.chá cominhos
azeite
250gr de tofu em cubos
sumo de 1 limão
1/2 c.chá tomilho seco
1/2 c.chá tomilho fresco
sal e pimenta
100gr de espinafres jovens 


Faz-se assim
Numa sertã anti-aderente, colocamos a cebola picada com um fio de azeite; refogamos até que a cebola fique transparente. Adicionar o tofu, os cominhos e uma pitada de sal. Agitar a sertã energicamente para que o tofu fique bem coberto por todos os sabores. Regar com sumo de limão. Continuar a agitar.
Assim que o tofu comece a ficar dourado adicionamos a abóbora cortada em pedaços. Salpicar com as restantes especiarias, e continuar a agitar a sertã misturando todos os ingredientes.
Por fim adicionamos os espinafres, bem lavados e escorridos. Envolver suavemente com uma espátula de borracha (para não riscar a sertã).
Rectificar temperos.
Retiramos do lume e colocamos dentro da casca da abóbora, onde será servido.



















sábado, 14 de abril de 2012

Batido de espinafres



Não torçam o nariz! Esta receita não é só para corajosos.
Muitos dos alimentos que estamos habituados a consumir apenas cozinhados, perdem grande parte do seu valor nutricional pela acção do calor a que são submetidos... 
Por isso sempre que possível tentem introduzir mais alimentos crus nas vossas dietas; afinal de contas existem tantas possibilidades! Saladas, batidos, sopas frias, patês, para nomear alguns. Se precisarem de ajuda sabem onde me encontrar.
Hoje trago-vos uma sugestão para começarem o vosso dia em grande! Batido de espinafres aliado à doçura natural da banana.
Só depois mais tarde pensei que seria bom adicionar sumo natural de laranja ou outro cítrico, pois a vitamina C ajuda à absorção do ferro. Ficará para uma próxima! :)




Para um copo grande
200ml de leite de arroz (podem usar outro tipo)
Uma mão cheia de espinafres jovens (40gr)
1 banana pequena


Faz-se assim
No copo da varinha mágica colocamos os espinafres bem lavadinhos, o leite de arroz e a banana em pedaços.
Triturar tudo muito bem com a varinha mágica e já está!
Nada melhor para começar o dia!


Experimentem introduzir este batido às vossas crianças, tem uma cor tão invulgar, que irão ficar no mínimo curiosos! hehe 


domingo, 1 de abril de 2012

Convidei para jantar... Miffy, uma doce coelhinha



O tão criativo projecto Convidei para jantar, criado pela querida Ana do blog Anasbageri, já vai na 3ª edição!
Desta vez o desafio foi recebido pela Su no seu maravilhoso blog Suvelle Cuisine.
Nesta 3ª edição os convidados escolhidos serão desenhos animados, que de alguma forma marcaram os nossos tempos de meninice...


Para saberem mais acerca deste projecto cliquem nos links que vos deixei em cima...


Pessoalmente sempre fui e continuo a ser uma grande fã de desenhos animados, e o pequeno almoço ao fim de semana não é o mesmo sem a companhia dos Looney toons, Lucky Luck ou algo do género! (Oops confissões!)
Mas dou sempre preferência aos desenhos animados mais antigos, pois são mais autênticos e genuínos...


Os 'bonecos', (como eu lhes chamava) que mais me marcaram foram provavelmente o Vickie, a Ana dos Cabelos Ruivos, e também o Tom Sawyer, do qual já não me lembro muito bem..
Ora alguns deles já tinham sido convidados por vós, para as vossas casas, por isso acabei por convidar a querida Miffy.


A Miffy, é uma doce coelhinha, um desenho animado muito simplista com cores primárias. Antes de aparecer nos ecrãs, possuía já dezenas de livros publicados com as suas histórias alegres.
O seu criador, Dick Bruna, é um senhor Holandês, e deu vida a Nijntje (seu nome original) após ter contado ao seu filho histórias sobre um coelhinho que tinha avistado antes nas dunas...
Bruna, decidiu que Miffy seria uma figura feminina, após constatar que não queria desenhar o seu coelhinho com calças mas sim com um vestido! [wikipedia] 


Eu e a minha querida mana ainda hoje deliramos com a Miffy, é quase uma obsessão!  Coleccionamos coisas da Miffy, e a minha irmã acabou mesmo por 'baptizar' uma das suas gatas.. Miffy!! hehe




O lanche foi uma tarte de cenoura e amêndoas, com suminho de cenoura e laranja :) Haverá lanche mais apropriado para uma coelhinha? 




Tarte de Cenoura e Amêndoas


Ingredientes Base
75 gr manteiga fria
50gr açúcar integral
150gr farinha 
Raspa de 1 laranja Biológica
água 


Ingredientes Recheio
90gr manteiga amolecida
70gr açúcar integral
2 ovos
2 c.chá Grand Marnier
175gr amêndoa finamente ralada
1 cenoura grande cozida e arrefecida


Ingredientes Cobertura
175gr de cream cheese, tipo philadelphia
Amêndoa laminada, tostada


Faz-se assim
Primeiro de tudo aquecemos o forno a 190ºC, pincelar os lados de uma tarteira de mola redonda, e colocar um disco de papel vegetal à medida no seu fundo. Reservar.


Base
Numa taça misturamos todos os ingredientes para a base, e com as pontas dos dedos desfazemos a manteiga toda até obter uma mistura areada. Juntar um bocadinho de nada de água e trabalhar a massa até que não mais se agarre às mãos, e possa finalmente ser estendida com um rolo de massa.


Numa superfície polvilhada com farinha, estendemos a massa em forma de circulo. 
Forrar apenas o fundo da tarteira com a massa, não é necessário criar um bordo, pois o nosso recheio será bastante sólido e não derramará.
Reservar.


Recheio
Começamos por misturar a manteiga com o açúcar, até obter uma mistura homogénea. Adicionar os ovos e continuar a bater.
Incorporar suavemente a amêndoa ralada e também a cenoura cozida, que entretanto foi triturada. 
Não esquecer o nosso licor de laranja e misturar tudo muito bem com uma colher de pau.


Verter o recheio sobre a nossa base, e distribuir uniformemente.  
Levar ao forno 190ºC durante 25 minutos, ou até que a tarte comece a ficar dourada no centro.
Retirar do forno e com cuidado desenformar. Transferir para uma grelha para melhor arrefecer.


Cobertura
Assim que esteja fria, barrar com o cream cheese, e salpicar com amêndoas tostadas...


Espero que também se tenham divertido com os vossos convidados :)






Deixo-vos ainda mais um link, de um blog que é pérola dos desenhos animados falados em português, convido-os a passarem por lá e a relembrarem todas as vossas doces memórias infantis!