segunda-feira, 27 de Junho de 2011

Pasta al Dente de Leão



Alguns anos passaram desde a minha primeira experiência com esta planta - Taraxacum officinale ... Lembro me de experimentar por curiosidade, crua, em salada, e ter sido uma experiência horrifica! Super amarga; claro que mais tarde soube o porquê. Tinha feito uma má escolha do local onde a colhi! 
Aqui na nossa comunidade existem resmas de Dente de Leão, e como estamos um bocado isolados e é difícil obter assim grande variedade de alimentos frescos (note-se que não é fácil ter uma horta na rua na Islândia, mesmo nesta altura do ano!) há assim uma vontade de usar tudo o que está disponível, é por isso que hoje vos deixo uma sugestão diferente.O Dente de Leão existe também em abundância em Portugal e os seus benefícios para a saúde são inúmeros, é uma erva purificadora que ajuda o fígado a eliminar toxinas entre outras coisas! Para mais informação vejam este post que encontrei no blog Leite da Terra
Optem por colher as folhas jovens, as mais viçosas, de plantas que cresçam em locais à sombra. Tenham cuidado onde apanham as plantas! Certifiquem-se que o local e livre de pesticidas!



Para 2 pessoas
Ingredientes
Um molho de folhas jovens de Dente de leão
3 dentes de alho
azeite
2 tomates maduros em cubinhos
250 gr de fusili
sal fino e pimenta 



Modo de preparo
Cozer a massa em água fervente. Lavar bem o dente de leão.
Entretanto, cortar o alho às rodelas fininhas; numa sertã, saltear em azeite; adicionar o tomate e o dente de leão. Agitar a sertã de modo a que todos os ingredientes fiquem bem salteados. 
Temperar com sal fino e pimenta fresca. Adicionar a massa previamente escoada. Envolver com os restantes ingredientes e voilá!

Desfrutem!

sábado, 25 de Junho de 2011

Granola mmmhhh....



Há já muito tempo que queria experimentar fazer granola em casa, parece que foi desta ;)
Aqui por casa 'cereais de pequeno almoço', são um snack muito popular, tão popular que na despesa mensal pesa um bocadinho... Principalmente aqui na Islândia este tipo de cereais são muito caros, e o preço nem sempre corresponde à qualidade... Razões mais que suficientes para por mãos à obra! As vatangens de fazer os nossos próprios cereais de pequeno almoço são muitas: podemos escolher os ingredientes que mais gostamos; não têm resmas de açúcar como os comerciais, logo são mais saúdaveis; e sim ficam mais em conta, pelo menos por estes lados...
Eu não segui nenhuma receita, experimentei e fiquei contente com o resultado! 

Ingredientes
500gr flocos de aveia
100gr flocos de arroz
300gr margarina
6 c.sopa de mel (ou a gosto)
1-2 chávenas de nozes, avelãs e amêndoas picadas
1/2 chávena de sementes de abóbora e girassol
pitada de sal
passas de uva a gosto



Modo de preparo
Pré aquecer o forno a 160ºC; preparar dois tabuleiros largos com papel vegetal. Reservar.
Derreter a margarina, retirar do lume e incorporar o mel.
Misturar todos os ingredientes secos de forma uniforme. Sobre esta mistura verter a margarina e o mel, e misturar bem com as mãos até que todos os ingredientes secos estejam bem revestidos e pegajosos.
Repartir a mistura pelos dois tabuleiros, espalhar bem a mistura por toda a superfície do tabuleiro.
Levar ao forno a 160ºC, durante cerca de 30 minutos; mexer regularmente e ter atenção para não queimar. Retirar do forno assim que a granola esteja com uma cor doiradinha e apelativa!

Servir com iogurte natural ou leite conforme os vossos gostos ;)

domingo, 19 de Junho de 2011

Mini Scallop potatoes - Forminhas de batata



Ora bem, aqui está uma receita que eu aconselho toda a gente a experimentar! 
As batatas, como sabem, são uma grande base da alimentação portuguesa, os seus tubérculos conseguem aguentar de um ano para o outro nos conhecidos 'sótãos de batatas', e se bem me lembro, na minha aldeia toda a gente tinha um lá em casa. O que significa que a batata era um alimento muito comum no nosso dia-a-dia.
E eu em criança, bem que lhes 'torcia o nariz' sempre que a minha mãe me obrigava a comer batatas cozidas... Mas na verdade as batatas são muito versáteis e existem mil uma maneiras de as confeccionar; hoje deixo-vos uma sugestão para umas batatinhas deliciosas, super simples e só com ingredientes locais! E se vocês sofrem do mesmo 'trauma batatiano' desde infância, experimentem! Asseguro-vos que é desta que fazem as pazes com estes tubérculos tão deliciosos. Ora vejam...



Para 4 forminhas
Ingredientes
1 cebola média
2 batatas grandes
4 c.sopa de manteiga
2 c.sopa de farinha
250ml de leite
pimenta moída na hora
sal fino
noz moscada
cebolinho fresco

Modo de preparo
Pré-aquecer o forno a 180ºC, preparar 4 forminhas refractárias.
Descascar as batatas, cortar às rodelas finas. Reservar.
Picar a cebola, reservar.
Fazer o molho béchamel: em lume brando, derreter a manteiga,; incorporar a farinha mexendo sempre como uma vara de arames até obter uma mistura lisa sem grumos; adicionar o leite e continuar a mexer bem até engrossar. Temperar com sal fino, pimenta moída na hora e uma pitada de noz moscada. Reservar.
Passamos agora a fase de montagem: colocar uma rodela de batata no fundo de cada forminha, salpicar com cebola picada e uma pitada de sal, cobrir com molho béchamel; repetir a operação até que os ingredientes se acabem; sendo que a última camada deverá ser molho béchamel.

Levar ao forno 180ºC, durante 35-40 minutos, espetar um palito e verificar se as batatas ainda estão duras, se for o caso deixar por mais algum tempo no forno.

Salpicar com cebolinho picado e servir com salada, ou como acompanhamento.

sábado, 11 de Junho de 2011

Pão de Avelã e Milho



Ora aqui está um pão muito fácil de fazer com ingredientes 100% Portugueses! É uma combinação óptima de ingredientes, um pão especial com um aroma e sabor únicos!

Começo por dizer que fazer pão não é um bicho de sete cabeças! E chega daquelas desculpas esfarrapadas que dizem que dá muito trabalho e nos ocupa muito tempo.. Não é bem assim; claro que existe determinados procedimentos que têm de ser tomados e levam o seu tempo; mas na verdade podemos fazer 1001 coisas enquanto aguardamos que o pão levede, coza etc, etc... É só uma questão de organização ;)

Eu não me oponho às tais máquinas de fazer pão, mas se têm uma lá em casa, usem-na, não a deixem apanhar pó! Pessoalmente prefiro os métodos tradicionais, por isso cá em casa gosto de fazer tudo à mão; amassar o pão à mão é uma actividade muito relaxante :)
Acreditem, dos melhores prazeres que poderão ter é comer o vosso próprio pão, feito com tanto carinho e dedicação e partilha-lo com quem mais gostam!

Agora, não se deixem derrotar ao primeiro obstáculo, fazer pão é uma ciência, mas uma vez compreendida (e acreditem que é um processo encantador), apreendemos a ama-la!



Agora a receita, rende 2 pãezinhos médios
Ingredientes
200gr de farinha para pão (farinha forte) trigo
200gr de farinha integral de trigo
100gr farinha de milho
5gr de fermento granulado para pão (dry yeast)
10gr sal fino
150ml de água morna
150ml de sumo de maça morno
2 c.chá de mel
2 c.chá manteiga
1/2 chávena de avelãs tostadas e moídas
Farinha para tender e cobrir o pão

Modo de preparo
Combinar as farinhas e sal, adicionar o fermento granulado. Dissolver o mel e manteiga na água e sumo de maçã. 
Abrir uma covinha no meio dos ingredientes secos e verter os líquidos para esta. 
Amassar bem os ingredientes, assim que que estejam todos grosseiramente ligados, transferir para uma bancada polvilhada com farinha e amassar bem. Nota, esta parte é fundamental, pois quanto melhor trabalharmos a massa melhor estamos a exercitar o gluten presente, que é o responsável pelo crescimento do pão.
Amassar bem a massa até que esta deixe de ser pegajosa, e se torne numa massa macia e elástica. 
Formar uma bola e espalma-la. Distribuir as avelãs por toda a sua superfície, voltar a amassar até que as avelãs estejam bem integradas, e até que a massa volte a ser macia e elástica. Formar uma bola.

Cobrir com um plástico e deixar levedar em local morno por cerca de uma hora ou até que a massa duplique de volume.

Ao final dessa hora, pré aquecer o forno a 250ºC.



Notas e truques: Se o vosso forno tiver 2 prateleiras, colocar na prateleira de baixo um tabuleiro vazio, além disso o tabuleiro onde se irá cozer o pão também deverá permanecer dentro do forno.
O tabuleiro vazio servirá para nós colocarmos agua a ferver no momento em que o pão vai ao forno. O vapor criado por este procedimento ajudará o pão a crescer melhor e o pão ficará com uma crosta deliciosamente crocante.
A outra solução será pulverizar com o interior do forno com um spray (aqules das plantas servem perfeitamente), na altura em que o pão já no forno prontinho a ser cozido.

Pegar na massa e dividir em duas partes, moldar a gosto. (prometo explicar esta parte mais em pormenor noutra ocasião)
Pincelar o pão com água morna, e rebolar o pão num prato com farinha integral.
Colocar o pão num sitio quente coberto com um plástico. Deixar levedar por mais 30-45 minutos. 

Chegou a hora de colocar o pão no forno; preparar um tacho com um pouco de água a ferver.
Golpear o pão (isto ajudará o pão a expandir sem encontrar resistência).
Colocar o pão muito rapidamente no forno, não é necessário ter o tabuleiro untado ou algo do género, a farinha será suficiente para impedir que este se agarre.
Estando o pão no forno, colocar a água a ferver no tabuleiro de baixo, ou se for o caso vaporizar o forno com um spray de água.
Fechar a porta do forno muito rapidamente para não haver mais perdas de calor.
Reduzir a temperatura para 230ºC.
Deixar cozer por cerca de 20-30 minutos. Se o pão já estiver com boa cara dêem uma pancadinha na parte de baixo, se o som for oco, o pãozinho está pronto!!

Não tenham medo de sujar as vossas mãos, deixem-se levar pela experiência! Aproveitem!

domingo, 5 de Junho de 2011

Souflê de Ruibarbo I


Olá em tons rosa :)
Por cá o Ruibarbo continua a iluminar a minha cozinha :)
Ainda tenho um grande stock, já fiz compota e outras coisas pequeninas; mas continuo a explorar a versatilidade deste vegetal tão charmoso... 
Pois é, já fomos colher Ruibarbo à tal Quinta, e foi assim uma aventura na Selva Ruibarbica, deparei-me com plantas gigantescas como nunca tinha visto, com folhas enormíssimas, os caules esses, alguns até metiam medo, tão grossos e robustos e ao mesmo tempo tão belos e delicados! O pior disto tudo é que temos resmas e resmas de ruibarbo para lavar e cortar lá na pastelaria... Enfim, não há bela sem senão ;)

Hoje trago-vos uma receita de Souflê super simples e fácil! Ora vejam:

Ingredientes
Para 4 forminhas de 100ml

55gr açúcar fino
80gr ruibarbo
1 c.sopa de água
2 claras de ovo
1 c.sopa açúcar de confeiteiro


Modo de preparo
- Pré aquecer o forno a 220ºC; com óleo inodoro untar 4 forminhas refractárias de 100ml cada, polvilhar o seu interior com açúcar (se as vossas forminhas forem maiores é só duplicar a receita).
- Cortar o ruibarbo em tiras fininhas, colocar numa caçarola juntamente com 1 c.sopa de água e 1 c.sopa de açúcar. Deixar a cozer em lume brando até ficar desfeito.Transferir para uma taça de vidro e reservar.
-  Bater as claras em castelo; assim que estas comecem a ficar firmes adicionar o açúcar muito lentamente sem parar de bater ( pois só assim teremos a certeza que o açúcar fica bem incorporado) até obter um merengue firme.
- Juntar uma pequena parte do merengue ao ruibarbo, e incorporar muito bem; adicionar o resto, mas desta vez envolvendo muito suavemente.
- Dividir pelas 4 forminhas. Colocar no forno, tendo atenção para não deixar a porta do forno muito tempo aberta; reduzir a temperatura para 200ºC.
- Cozer 10-12 minutos. Servir morno polvilhado com açúcar de confeiteiro.

Nota: Inicialmente, ao aquecer o forno dá-se uma margem de + 20ºC, pois só assim teremos a certeza que os nossos soufles irão cozer à temperatura certa. Há sempre perdas de calor ao abrir o forno e desta forma já nos estamos a precaver! É uma dica importante para ter um belo souflê, bem crescidinho!

sábado, 4 de Junho de 2011

Espetadinhas de Salada




Olá a todos!... Depois de uma tarde passada a empandurrar crossaints de chocolate (hmmmmm...), decidi-me por uma refeição leve e muito simples! Poderá ser também uma boa sugestão para servir uma saladinha em festas, ou até para acompanhar um churrasco (não que eu seja muito a favor desta última parte!). Os ingredientes também podem variar consoante os vossos gostos.
Os vegetais que usei foram todos produzidos aqui na comunidade! Mais local era impossivel ;)
Eu fiz assim:

Ingredientes para 4 espetadas
6 rodelas grossas de pepino cortadas ao meio
12 rodelas de cenoura
12 tomatinhos cherry
1 pimento amarelo

Sumo de 1 lima
sal fino
pimenta
azeite



Modo de preparo
Tendo os ingredientes todos preparadinhos, colocar um a um nos espetos de madeira.
Pincelar com o molho, que é feito com sumo de uma lima, misturado com azeite, e depois temperado com sal e pimenta fresca.

Mais simples não existe!